Minha vida simples

Photo by Bench Accounting on Unsplash

Grandes expectativas só servem para nos frustar.

It’s Okay to want to Live a Slow & Quiet Life.

Para a jornalista e apresentadora Aline Midlej, “ter uma vida simples é ter propósito, morar em uma casa que reflete você, suas escolhas e valores, longe dos falsos status e rotulagens. É viver perto de quem te ama pelo que você é, de quem faz questão de estar perto de você também. E vale lembrar: isso tudo pode exigir algum esforço. É buscar um ofício que te realiza, que te faz sorrir, acordar com vontade. Um trabalho que te faz crescer de dentro para fora. É entender que o conforto está no que acolhe, encaixa. Vida simples é buscar fazer de você uma boa companhia para si mesmo, o que demanda uma conversa intensa e diária”.

Minha vida simples se resume em:

sem cobranças, expectativas, estereótipos, padrões de beleza, maquiagem, exigências, roupas novas, horários, regras, despertador, disputas, fofocas, comparações.

Sem dinheiro. Sem vaidade. Com amor e sexo de sobra, investindo em saúde e qualidade de vida.

Eu tive um professor de teatro que falava: “Não confunda o simples com o fácil. Você precisa ir ao céu e ao inferno para conseguir chegar no simples. A simplicidade é uma coisa muito rara. E, quando ela acontece, quando você identifica ela seja numa pessoa, seja numa situação, é sublime. O fácil é fake, ele é descartável”.

Altas ambições são nobres e importantes, mas também pode chegar uma hora em que elas se tornam a fonte de pânico desnecessário e problemas terríveis. 

Estou tentando me desconectar um pouco, valorizar os pequenos momentos do dia a dia para ficar comigo mesma, e com isso ter mais qualidade de vida.

Meu objetivo é ser adepta do slow living, um movimento global que propõe uma rotina mais desacelerada, nos permitindo uma olhar atento e sensível ao impacto que causamos com as nossas escolhas diárias.

O bacana é se empolgar com a vida pequena, não precisar devorar o mundo para ser feliz.

Despacio, NO te desesperes todo a tu tiempo…