Catadão #15

Eis alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios; dicas interessantes (ou não) que valem a pena ser compartilhadas (ou não):

  • Li e gostei:

Na visão de Orkut — criador da rede social onde deixávamos scraps no mural dos outros e onde alguém muito popular ficava com o perfil lotado — as redes sociais deveriam enfatizar nossos interesses e paixões em comum, mas acabaram virando espaços que incentivam a autopromoção e nos deixam ansiosos com as inevitáveis comparações.

Dizer não economiza seu tempo no futuro. Dizer sim custa tempo no futuro.

Não é como um crédito de tempo. Você pode gastar esse bloco de tempo no futuro.

Sim é como uma dívida de tempo. Você tem que retribuir esse compromisso em algum momento.

Não é uma decisão. Sim é uma responsabilidade”.

“Você pode ser julgado porque criou algo ou ignorado porque deixou sua grandeza dentro de você. Você decide”.

A psiquiatra Elisabeth Kübler Ross sobre como as pessoas bonitas são feitas:

“As pessoas mais bonitas que conhecemos são aquelas que conheceram a derrota, o sofrimento, a luta, a perda e encontraram o caminho para sair das profundezas. Essas pessoas têm uma apreciação, uma sensibilidade e uma compreensão da vida que preenche com compaixão, gentileza e uma profunda preocupação amorosa. Pessoas bonitas não acontecem por acaso”.

O autor TH White sobre o aprendizado como uma cura para a tristeza:

“Você pode envelhecer e tremer em sua anatomia, pode ficar acordado à noite ouvindo a desordem de suas veias, pode sentir falta de amor, você pode ver o mundo ao seu redor devastado por lunáticos malvados ou saber que sua honra foi pisoteada nos esgotos das mentes mais vis. Só há uma coisa para isso – aprender alguma coisa. Aprenda por que o mundo balança e o que o abala. É única coisa que a mente nunca pode exaurir, nunca alienar, nunca ser torturada, nunca temer ou desconfiar, e nunca sonhar em se arrepender”.

“O que estava certo naquele momento pode não estar certo neste.

O que você precisava naquele momento pode não ser o que você precisa agora.

O que você queria naquele momento pode não ser o que você deseja agora.

Este momento não é aquele momento.

E tudo bem”.

“A maneira mais confiável de mudar sua vida é não mudando sua vida inteira.

Se você tentar mudar tudo de uma vez, rapidamente se verá puxado de volta aos mesmos padrões de antes. Mas se você meramente se concentrar em mudar um hábito específico e trabalhar nele até que se torne parte do seu dia normal, você descobrirá que sua vida muda naturalmente como um efeito colateral.

Melhore o todo dominando uma coisa”.

  • Dei print:
  • Ah, Selena maravilhosa!

Já havia assistido várias vezes ao filme com a J.Lo no SBT (inclusive, quando estava de férias no México, assisti também na Televisa hehe); agora, vi a série na Netflix e revi (quase) todos os seus vídeos no YouTube. Dá um mix de admiração e tristezinha. E quem nunca ouviu falar, pode me chamar no zap rs.

  • Meu vício tem nome e som:
  • Leiam!

Catadão #14

  • A escritora Alice Walker sobre o desconforto do crescimento:

“Alguns períodos de nosso crescimento são tão confusos que nem mesmo reconhecemos que o crescimento está acontecendo. Podemos nos sentir hostis, com raiva ou chorosos e histéricos, ou podemos nos sentir deprimidos. Nunca nos ocorreria, a menos que topássemos com um livro ou uma pessoa que nos explicou que estávamos de fato em processo de mudança, de realmente nos tornar maiores do que éramos antes.

Sempre que crescemos, tendemos a senti-lo, como uma semente jovem deve sentir o peso e a inércia da terra ao tentar sair de sua casca a caminho de se tornar uma planta. Frequentemente, a sensação é tudo menos agradável.

Mas o mais desagradável é não saber o que está acontecendo. Aqueles longos períodos em que algo dentro de nós parece estar esperando, prendendo a respiração, sem saber qual deveria ser o próximo passo … pois é nesses períodos que percebemos que estamos sendo preparados para a próxima fase de nossa vida e que , com toda a probabilidade, um novo nível da personalidade está prestes a ser revelado“.

  • O sábado é um tempo em que você não só se abstém de trabalhar, como nem pensa no trabalho. Cada sábado é uma espécie de mini-eternidade.

  • Não estou definhando, estou adormecido .

Como uma planta. Ou um vulcão.

Estou esperando para ser ativado.

A jardinagem coloca você em um tipo diferente de tempo, a antítese do presente agitado das redes sociais. O tempo se torna circular, não cronológico; minutos se transformam em horas; algumas ações não dão frutos por décadas.

Os jardineiros não apenas desenvolvem um senso de tempo diferente, mas também a  sabedoria ancestral  de saber quando fazer as coisas:

Para cada coisa há um tempo
e um tempo para cada propósito debaixo do céu:
um tempo para nascer e um tempo para morrer;
um tempo para plantar e um tempo para colher o que é plantado;
Um tempo para matar e um tempo para curar; um tempo para quebrar e um tempo para construir…

Posso até parecer morta, mas como Corita Kent certa vez descreveu um de seus próprios períodos de dormência, “coisas novas estão acontecendo muito silenciosamente dentro de mim”.

Esperando para explodir.

  • Ah, Antena 1!