Catadão #16

Eis alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios; dicas interessantes (ou não) que valem a pena ser compartilhadas (ou não):

  • Li e gostei:

Trabalho, relacionamentos, desafios. Nossa vida é cheia de situações desconfortáveis. Se acostume.

“Quanto mais você acredita que é bom, melhor você fica e mais as pessoas passam a acreditar em você. Não precisa ser o profissional mais foda, só acredite que é e se venda como sendo que as coisas acontecem”. Marília Lopes, redatora criativa e produtora de conteúdo.

“Quanto mais você se move, mais fácil é continuar se movendo. Mantenha o ímpeto”.

“O Paradoxo do Foco:

Aproveite ao máximo uma oportunidade e mais oportunidades surgirão em seu caminho.

Mover-se ousadamente em uma direção faz com que mais caminhos se desdobrem diante de você.

Para obter mais, concentre-se em menos”.

Uma carta da autora Anne Lamott sobre o valor da leitura:

“Se você adora ler ou aprender a amar ler, terá uma vida incrível. Ponto final. A vida sempre terá dificuldades, pressão e pessoas incrivelmente chatas, mas os livros farão com que tudo valha a pena. (…) Você encontrará pessoas que foram quase destruídas, que se levantaram. Livros e histórias são remédios, moldes de gesso para vidas e corações partidos, fundas para espíritos enfraquecidos. E ao ler, você vai rir mais do que jamais imaginou rir, e isso será magia, o paraíso e a salvação. Eu prometo”.

Fonte: A Velocity of Being: Cartas a um jovem leitor

Se eu continuar fazendo o que estou prestes a fazer hoje pelos próximos cinco anos, acabarei com mais do que quero ou menos do que quero?

Tenha atitude. Levante a bunda da cadeira. Faça algo. Mude a sua realidade.

Reclamar é a maior perda de tempo que existe. Ou faça algo para resolver o problema ou cale-se.

O segredo da produtividade é simples: tenha uma rotina.

Essa frase me intriga muito: “Somos a média das cinco pessoas com quem passamos mais tempo“.

– “Quando você constrói mundos, você atrai pessoas que querem estar dentro de sua tribo e naturalmente repele todos os outros.

Convencer alguém a mudar de ideia é na verdade o processo de convencer alguém a mudar de tribo. Se abandonar suas crenças, corre o risco de perder os laços sociais. Você não pode esperar que alguém mude de ideia se você tirar sua comunidade também. Você tem que dar a eles um lugar para ir.

Ninguém quer que sua visão de mundo seja destruída se a solidão for o resultado”.

  • Prints que eu dei:
  • Descoberta musical da semana:

Catadão #15

Eis alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios; dicas interessantes (ou não) que valem a pena ser compartilhadas (ou não):

  • Li e gostei:

Na visão de Orkut — criador da rede social onde deixávamos scraps no mural dos outros e onde alguém muito popular ficava com o perfil lotado — as redes sociais deveriam enfatizar nossos interesses e paixões em comum, mas acabaram virando espaços que incentivam a autopromoção e nos deixam ansiosos com as inevitáveis comparações.

Dizer não economiza seu tempo no futuro. Dizer sim custa tempo no futuro.

Não é como um crédito de tempo. Você pode gastar esse bloco de tempo no futuro.

Sim é como uma dívida de tempo. Você tem que retribuir esse compromisso em algum momento.

Não é uma decisão. Sim é uma responsabilidade”.

“Você pode ser julgado porque criou algo ou ignorado porque deixou sua grandeza dentro de você. Você decide”.

A psiquiatra Elisabeth Kübler Ross sobre como as pessoas bonitas são feitas:

“As pessoas mais bonitas que conhecemos são aquelas que conheceram a derrota, o sofrimento, a luta, a perda e encontraram o caminho para sair das profundezas. Essas pessoas têm uma apreciação, uma sensibilidade e uma compreensão da vida que preenche com compaixão, gentileza e uma profunda preocupação amorosa. Pessoas bonitas não acontecem por acaso”.

O autor TH White sobre o aprendizado como uma cura para a tristeza:

“Você pode envelhecer e tremer em sua anatomia, pode ficar acordado à noite ouvindo a desordem de suas veias, pode sentir falta de amor, você pode ver o mundo ao seu redor devastado por lunáticos malvados ou saber que sua honra foi pisoteada nos esgotos das mentes mais vis. Só há uma coisa para isso – aprender alguma coisa. Aprenda por que o mundo balança e o que o abala. É única coisa que a mente nunca pode exaurir, nunca alienar, nunca ser torturada, nunca temer ou desconfiar, e nunca sonhar em se arrepender”.

“O que estava certo naquele momento pode não estar certo neste.

O que você precisava naquele momento pode não ser o que você precisa agora.

O que você queria naquele momento pode não ser o que você deseja agora.

Este momento não é aquele momento.

E tudo bem”.

“A maneira mais confiável de mudar sua vida é não mudando sua vida inteira.

Se você tentar mudar tudo de uma vez, rapidamente se verá puxado de volta aos mesmos padrões de antes. Mas se você meramente se concentrar em mudar um hábito específico e trabalhar nele até que se torne parte do seu dia normal, você descobrirá que sua vida muda naturalmente como um efeito colateral.

Melhore o todo dominando uma coisa”.

  • Dei print:
  • Ah, Selena maravilhosa!

Já havia assistido várias vezes ao filme com a J.Lo no SBT (inclusive, quando estava de férias no México, assisti também na Televisa hehe); agora, vi a série na Netflix e revi (quase) todos os seus vídeos no YouTube. Dá um mix de admiração e tristezinha. E quem nunca ouviu falar, pode me chamar no zap rs.

  • Meu vício tem nome e som:
  • Leiam!

Catadão #14

  • A escritora Alice Walker sobre o desconforto do crescimento:

“Alguns períodos de nosso crescimento são tão confusos que nem mesmo reconhecemos que o crescimento está acontecendo. Podemos nos sentir hostis, com raiva ou chorosos e histéricos, ou podemos nos sentir deprimidos. Nunca nos ocorreria, a menos que topássemos com um livro ou uma pessoa que nos explicou que estávamos de fato em processo de mudança, de realmente nos tornar maiores do que éramos antes.

Sempre que crescemos, tendemos a senti-lo, como uma semente jovem deve sentir o peso e a inércia da terra ao tentar sair de sua casca a caminho de se tornar uma planta. Frequentemente, a sensação é tudo menos agradável.

Mas o mais desagradável é não saber o que está acontecendo. Aqueles longos períodos em que algo dentro de nós parece estar esperando, prendendo a respiração, sem saber qual deveria ser o próximo passo … pois é nesses períodos que percebemos que estamos sendo preparados para a próxima fase de nossa vida e que , com toda a probabilidade, um novo nível da personalidade está prestes a ser revelado“.

  • O sábado é um tempo em que você não só se abstém de trabalhar, como nem pensa no trabalho. Cada sábado é uma espécie de mini-eternidade.

  • Não estou definhando, estou adormecido .

Como uma planta. Ou um vulcão.

Estou esperando para ser ativado.

A jardinagem coloca você em um tipo diferente de tempo, a antítese do presente agitado das redes sociais. O tempo se torna circular, não cronológico; minutos se transformam em horas; algumas ações não dão frutos por décadas.

Os jardineiros não apenas desenvolvem um senso de tempo diferente, mas também a  sabedoria ancestral  de saber quando fazer as coisas:

Para cada coisa há um tempo
e um tempo para cada propósito debaixo do céu:
um tempo para nascer e um tempo para morrer;
um tempo para plantar e um tempo para colher o que é plantado;
Um tempo para matar e um tempo para curar; um tempo para quebrar e um tempo para construir…

Posso até parecer morta, mas como Corita Kent certa vez descreveu um de seus próprios períodos de dormência, “coisas novas estão acontecendo muito silenciosamente dentro de mim”.

Esperando para explodir.

  • Ah, Antena 1!

Catadão #13

  • Li e gostei:

“Sempre que você ficar preso em busca do plano ideal, lembre-se:

Começar muda tudo”.

“Quanto mais você se move, mais fácil é continuar se movendo. Mantenha o ímpeto”.

Deus caminha à nossa frente e tira as pedras do nosso caminho. Nele está a força. O mal no mundo entra na medida em que o ser humano expulsa Deus do mesmo mundo que ele criou.

“Uma regra simples para a vida e o trabalho:

Não se apresse, mas não espere”.

“Muitas vezes evitamos agir porque pensamos: ‘Preciso aprender mais’, mas a melhor maneira de aprender é muitas vezes agindo” .

Alguma sabedoria do Agente Especial do FBI Dale Cooper em Twin Peaks:

Vou te contar um segredinho. Todos os dias, uma vez por dia, dê a si mesmo um presente. Não planeje, não espere por isso. Apenas deixe acontecer. Pode ser uma camisa nova. Uma soneca na cadeira do escritório. Ou duas xícaras de café puro e quente.

  • Vi de relance:
  • Escutei e dei repeat:

Essa música é tão emocionalmente profunda:

Apaixonada:

Comecei a assistir sem querer, meio de tabela, a série da Netflix ‘O Paraíso e a Serpente’ e viciei na história chocante, eletrizante e REAL. Contém spoilers aqui.

  • Dei print:

Catadão #12

Eis alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios; dicas interessantes (ou não) que valem a pena ser compartilhadas (ou não):

  • Li e gostei:

“O medo do fracasso é maior quando você não está trabalhando no problema.

Se você está agindo, fica menos preocupado com o fracasso porque percebe que pode influenciar o resultado”.

O neuropsiquiatra, fundador da logoterapia, Viktor Frankl, após um período de extremo sofrimento vivendo nos campos de concentração, escreveu: “Quando a situação for boa, desfrute-a. Quando a situação for ruim, transforme-a. Quando a situação não puder ser transformada, transforme-se”.

Rezar não consiste nas palavras, mas na intensidade do amor que as pronuncia (…). Toda oração é uma ceia com Cristo e um estar sentado ao seu lado, escutando as batidas de seu coração que nos ama.

Uma regra simples para a vida e o trabalho: “Não se apresse, mas não espere”.

  • Vi e gostei:
O personagem Charles Foster Kane (Orson Welles) em cima de pilhas do seu jornal, em cena de 'Cidadão Kane' (1941)

Charles Foster Kane (Orson Welles) em cima de pilhas do seu jornal, em cena de ‘Cidadão Kane’ (1941) – Reprodução

Ismo Holtto, Noruega 1967
  • Dei print:
  • Ouvi e dei repeat:

Catadão #11

Eis alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios; dicas interessantes (ou não) que valem a pena ser compartilhadas (ou não):

  • Li e gostei:

“A Itália é conhecida pelos tomates. A Tailândia pelos pimentões. A Alemanha pelo chucrute.

Mas o tomate é originário do Peru. A Tailândia importou pimentões da América Central. O chucrute começou na China.

Tudo é um remix – e o mundo fica melhor com isso”.

Um pequeno hábito – quando repetido de forma consistente – se transforma em algo significativo.

– Pergunte a si mesmo: a quantidade de atenção que estou dando a isso corresponde à sua importância?

  • Vi e gostei:

Keanu Reeves brincando com cachorrinhos enquanto responde perguntas de fãs. Aqui.

Ame ou odeie, é inegável a influência de Lay Gaga na moda da última década.

  • Meus aplausos e sentimentos:

“Espero estar à altura”. Diante da proximidade da morte, essa foi a frase do psicanalista e escritor Contardo Calligaris, que faleceu na última terça (30), aos 72 anos.

“Você pode escolher entre ficar em casa ou pegar a estrada e, sem dúvida, faz e fará um pouco dos dois. Mas quando estiver em casa, tente não sonhar com a estrada e, quando estiver na estrada, tente não lamentar o calor do lar. Vivemos de sonhos e de nostalgias: é necessário cuidar para que essa alternância não nos mantenha constantemente afastados do momento presente”, disse ele, em uma das publicações.

“O sentido da vida é a própria vida concreta. A que vivemos e da qual morrer faz parte” .

Contardo Calligaris sempre esteve e está à altura.

“Eu não quero ter uma vida feliz, quero ter uma vida interessante”
  • Dei print:
  • Escutei e dei repeat:

E essa letra de Vinicius de Moraes?

Fez do meu coração
A sua moradia
Já é demais o meu penar

Quero voltar aquela
Vida de alegria
Quero de novo cantar

  • E de todas as faltas, a maior delas:

Catadão da semana #10

Eis alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios; dicas interessantes (ou não) que valem a pena ser compartilhadas (ou não):

  • Li e gostei:

– Às vezes a gente pode não entender o motivo de alguma coisa, mas no final – quase – tudo se acerta.

– “Novos objetivos não trazem novos resultados. Novos estilos de vida sim.

E um estilo de vida é um processo, não um resultado.

Por esta razão, sua energia deve ir para a construção de melhores hábitos, não para buscar melhores resultados”.

– Em um número surpreendente de casos, a maneira de resolver um problema é ignorá-lo.

– A influência de cada experiência em sua vida é determinada pelo significado que você atribui a ela.

– Em seu romance, The Painted Drum, a escritora Louise Erdrich discute como correr riscos:

“A vida vai quebrar você. Ninguém pode protegê-lo disso, e estar sozinho também não o fará, pois a solidão também o quebrará com seu desejo. Você tem que amar. Você tem que sentir. É a razão pela qual você está aqui na Terra. Você tem que arriscar seu coração. Você está aqui para ser engolido. E quando acontecer de você estar quebrado, ou traído, ou abandonado, ou ferido, ou a morte se aproximar demais, sente-se perto de uma macieira e ouça as maçãs caindo aos montes ao seu redor, desperdiçando sua doçura. Diga a si mesmo que você provou o máximo que pôde” .

– Esqueça o talento. Se você tem, tudo bem. Use-o. Se você não tem, não importa. Como o hábito é mais confiável do que a inspiração, o aprendizado contínuo é mais confiável do que o talento.

– Existem dois tipos de tempo: tempo vivo e tempo morto. Uma é quando você senta e espera até que as coisas aconteçam com você. A outra é quando você está no controle, quando faz com que cada segundo seja importante. Sempre escolha o tempo vivo.

  • Print que eu dei:
De Bruna Cosenza
  • Escutei e me apaixonei instantaneamente:

Versão mais linda, melódica e romântica do que a clássica dos Pixies
  • Foto achada de NY, com brilho nos olhos escondido pelas lentes:

Catadão da semana #9

Eis alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios; dicas interessantes (ou não) que valem a pena ser compartilhadas (ou não):

  • Li e gostei:

É uma maravilha ter na vida alguém que ri.

O tempo não satisfaz ninguém. Quando somos novos queremos que o tempo passe; quando chegamos à meia-idade desejamos que o tempo pare; e, quando ficamos velhos, gostaríamos que o tempo voltasse para trás.

“A felicidade vem de ser quem você realmente é, em vez de quem você pensa que deveria ser”. Shonda Rhimes, roteirista, cineasta e produtora de televisão.

– “Se você não gosta da estrada que está percorrendo, comece a pavimentar outra”. Dolly Parton, cantora e compositora.

A poetisa Mary Oliver sobre se permitir ser feliz e plena:

“Se você repentinamente e inesperadamente sentir alegria, não hesite. Ceda a ela.

… seja o que for, não tenha medo de sua abundância.

A alegria não foi feita para ser uma migalha”.

  • Ouvi na Antena 1 e fui procurar no YouTube:

E essa letra?

Imagine me and you, I do
I think about you day and night
It’s only right
To think about the girl you love
And hold her tight
So happy together

Tradução aqui.

  • Dei print:
  • Foto achada e cheia de alegria fake:

Catadão da semana #8

Alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios: 

  • Li e gostei:

– Oprah Winfrey: “Você recebe na vida o que você tem coragem de pedir”.

A vida se desenrola para onde damos atenção.

Encontre alguma coisa que faz bem a você e foque nisso. Invista seu tempo no que te faz feliz. Tudo aquilo que a gente faz e que, de alguma forma, implica em estar ativo, seja fisicamente, seja intelectualmente, pode ajudar no impacto da depressão.

Escritora sem memória é como um atleta contundido!

“Roma não foi construída em um dia, mas eles estavam colocando tijolos a cada hora.

Você não tem que fazer tudo hoje. Basta colocar um tijolo”.

Clareza é a eliminação da desordem mental.

Agilidade é a eliminação da desordem física.

Tranquilidade é a eliminação da desordem espiritual”.

A poetisa Diane Ackerman sobre se reinventar:

“Os seres vivos tendem a mudar irreconhecivelmente à medida que crescem. Quem deduziria a libélula da larva, a íris do botão, o advogado da criança?

Flora ou fauna, somos todos metamorfos e reinventadores mágicos. A vida é realmente um substantivo plural, uma caravana de eus”.

  • Print que eu dei:
  • Poeminha que eu li:

a beleza do desespero.

o meu choro
é o de quem sente
tudo está no ser
o êxtase e a dor
o ganho e a perda
a vida e a morte
eu vivo em mim e sinto tudo
percebo ciclos
identifico padrões
e, acima de tudo, sigo
talvez até as lágrimas me enfeitem
deixem meu rosto molhado
pela essência da verdade
a crueza de sentir
que nunca pede licença
simplesmente transborda
mas ainda me faz ter certeza
de que mesmo na confusão
vivo, respiro
e estou aqui.

  • Ouvi na Antena 1 e fui procurar no YouTube:

E essa letra?

I just know your life’s gonna change
Gonna get a little better
Even on the darkest day
I just know your life’s gonna change
Gonna get a little further
Right until the feelings change

Tradução aqui.

  • Imagem que eu fiz ainnn:
Bebê é o quinto filhote da fêmea Willow no zoológico australiano - Reprodução
O primeiro filhote de coala nascido em mais de um ano no Zoológico Taronga de Sydney.

Catadão da semana #7

Tenho uma urgência muito grande de mostrar, de compartilhar. Então, eis alguns pensamentos simples, curtos e aleatórios: 

  • Meu atual status: despertando com medo, enganando a dor e disfarçando a saudade.
  • O autor John Shedd sobre assumir riscos:

“Um navio é seguro em um porto, mas não é para isso que os navios são construídos”.

  • Um ditado budista sobre a ineficácia da raiva:

“Apegar-se à raiva é como agarrar uma brasa com a intenção de jogá-la em outra pessoa – você é aquele que se queima”.

  • Mari Palma em entrevista ao Uol; a jornalista da CNN revelou lições de superação do pai, que perdeu a visão quando ela era criança:

“Depois que eu cresci, eu sinto que comecei a lidar com a deficiência do meu pai de uma forma mais madura. Foi nesse período que entendi e aceitei que não temos controle sobre a vida e que não adianta lamentar – foi ele, inclusive, que me fez perceber isso. Ficar brava com o trânsito, com o e-mail que não chegou, é uma bobagem perto do que realmente importa. Ter saúde e ter pessoas especiais como ele por perto é o que faz a vida valer a pena”.

“Viver é fácil com os olhos fechados”. (Foto: Arquivo Pessoal)
  • Imagens que eu salvei:
Brooklyn Bridge (Foto: @nyclovesnyc)
  • Assistir ao documentário de 4h da HBO, Leaving Neverland, com denúncias contra Michael Jackson, foi bastante indigesto e perturbador. Vi logo que estreou em 2019 e sinto uma pontinha amarga cada vez que ouço uma música do Rei do Pop.

Em contrapartida, escutar seus hits antigos, da época do Jackson 5, me faz pensar num Michael talentosíssimo, que viveu uma infância turbulenta e foi um verdadeiro negócio antes de ser criança. Amo essa versão de All the Things You Are, de Frank Sinatra.